Registro de marca é para empresas grandes?




A marca é um elemento intangível, mas é de extrema importância para o empresário. Ela é o principal veículo de diálogo entre o estabelecimento comercial e o público consumidor, pois sua função é atribuir identidade a um produto ou serviço, e possibilitar a diferenciação entre um e outro.


O público utiliza a marca para reconhecer o produto ou serviço de sua preferência e inclusive para fixar uma ideia sobre aquilo que adquire.


Não existe produto sem marca, assim como não existe uma empresa sem nome. Seja qual for o porte econômico, todas possuem uma forma de identificação, seja para sua atividade ou para o produto que fornece.  


Alguns pequenos empreendedores não atribuem à marca o valor devido e acreditam que o registro perante o INPI é apenas para grandes empresas, que possuem uma gama considerável de produtos em seu portfólio e necessitam zelar pela identidade individual de cada um deles. Além disso, elas expõem seus produtos em diversos meios de comunicação e possuem poderio econômico para investir em todas as medidas protetivas.


Ledo engano!


Toda atividade empresarial tende a nascer pequena e se expande ao longo dos anos, chegando a tornar grandes franquias de sucesso. Assim, ignorar a importância do registro da marca no início dos negócios, é o mesmo que olhar por uma perspectiva pessimista de que o empreendimento não vai crescer.


Criou-se o mito de que o registro de marca só é importante para grandes companhias, o que claramente não é verdade. O empresário, no início da sua atividade, deve ter em mente que o investimento, quando realizado com planejamento e estratégia, tende a crescer e, juntamente a isto, vem a fama para a marca escolhida.


O fama tem seus prós e contras. É bom ter a marca reconhecida pelo público que muitas vezes a transforma em sinônimo de qualidade. Mas, é danoso ver alguém tentando imitar a sua criação procurando levar vantagem. E não importa o porte da empresa, sempre haverá concorrência. A Leal, e a Desleal.


Então, para se resguardar de condutas ilícitas, reproduções e imitações não autorizadas, desde cedo na atividade empresarial é recomendável proteger os ativos imateriais. Seja a empresa grande ou pequena. 


Pensar em investir na proteção da marca após a empresa crescer é prejudicial e acreditar que só empresas grandes devem registrar suas criações é bobagem. Nesse ponto, nada melhor do que o ditado popular que resume o texto em poucas palavras: Melhor prevenir, do que remediar!

Um comentário: